terça-feira, 26 de janeiro de 2016

EXPOSIÇÃO: RIO DE JANEIRO VISTO PELOS PINTORES NAIFS na Barra da Tijuca


No dia 15 de fevereiro de 2016 será inaugurada a exposição coletiva realizada pelos seis artistas participantes do grupo "Naifs Brasileiros de Hoje". São eles: Ana Camelo, Berenic, Dalvan Filho, Ermelinda, Helena Coelho e Helena Rodrigues.

A coletiva, como o próprio título já diz, aborda uma temática voltada aos pontos turísticos do Rio de Janeiro. 

SERVIÇO

Exposição: 
"RIO DE JANEIRO VISTO PELOS PINTORES NAIFS"

DATA: De 16/02 a 25/03/16
HORA: 09 as 19 h
LOCAL: Lounge Espaço Britannia
Av. Rodolfo Amoedo, 333 - Barra da Tijuca - RJ
(21) 3197-6168
Gratuito
Classificação: Livre


A boa observação fica por conta de que as obras dos artistas também estão participando da exposição, na Embaixada do Brasil em Genebra (Suíça), intitulada Rio Naïf et les Jeux Olympiques et Paralympiques - Rio Naif e os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos (imagem abaixo).



O critico e pesquisador de arte Oscar D'Ambrosio, responsável pela exposição, escreveu um texto de apresentação a seguir:

DESENVOLTURA DE TEMAS E CORES
Por Oscar D’Ambrosio


É com grande alegria que recebemos a notícia da realização de uma exposição coletiva dos artistas plásticos Ana Camelo, Berenic, Dalvan Filho, Ermelinda, Helena Coelho e Helena Rodrigues. Eles caminham juntos na busca de um melhor entendimento do universo da Arte Naif e suas múltiplas possibilidades de interpretação, assim como do futuro do gênero e dos seus desdobramentos. 

Os trabalhos aqui aglutinados reforçam como o conceito de Arte Naif foi sofrendo alterações ao longo do tempo, sempre tendo em vista a existência de variações na forma de pensar a linguagem Naif. Se isso, por um lado, apresenta-se como algo saudável, no sentido de promover o diálogo, por outro, cria dificuldades de ordem conceitual, já que cada artista pode caminhar numa direção diferente. 

Atualmente, existe uma tendência de aproximação entre a chamada Arte Erudita e a Popular, embora alguns prefiram ainda a visão da Arte Naif como ligada a uma manifestação mais simples, autêntica e despida de valores acadêmicos. O essencial está em ver os artistas que participam deste projeto como legítimos representantes de um autêntico pensar e interpretar a realidade. 

Os seis artistas têm em comum algo que os aproxima entre si, e da Arte Naif e da Cultura Popular: suas obras são mais discursivas e figurativas. Por isso mesmo, dispensam bulas para se justificar plasticamente. São um espetáculo vibrante e significativo em si mesmas. A aparente simplicidade da Arte Naif traz em si mesma a grande complexidade do seu estudo. A diversidade de conceitos traz insegurança muitas vezes, mas também proporciona uma riqueza de discussões que esta exposição busca salientar. Acima de tudo, existe a valorização de um gênero que encontra no Brasil um de seus principais expoentes e que necessita cada vez de maior discussão e divulgação para uma reflexão sobre a sua história, seu presente e suas possibilidades de inserção futura na sociedade. Nesse sentido, os artistas que integram esta exposição são essenciais e merecem ser acompanhados de perto. Suas obras, regidas pela desenvoltura no trato com a cor e pelas temáticas de cunho popular, oferecem uma festa visual que pode até gerar polêmica entre eruditos e entre o público, mas nunca indiferença. 

Oscar D’Ambrosio integra a Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA - Seção Brasil). É doutor em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Mackenzie e mestre em Artes pelo Instituto de Artes da Unesp.