sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Rosangela Borges

Bezerros (PE), 12-02-1976



Os sóis e a luas, em Rosangela Borges, nunca são para pouco. Fortes, vivos, são como devem sempre ser os maiores fenômenos da natureza: simplesmente espetaculares!


A pintora pernambucana nasceu e vive na cidade de Bezerros, Pernambuco, localizada em região de clima semiárido, com vegetação de caatinga e mata atlântica. Muitas das telas de Rosangela retratam o sertão e a dura sobrevivência do sertanejo. A tela intitulada "No sertão é assim", por si só, já nos diz tudo.

"No sertão é assim"




"Os retirantes", 2012

A artista faz questão de dizer que trabalha como tema exclusivo o nordeste. Ela registra outras festas populares regionais, mas não fica restrita a sua localidade. Fala de Maceió, Olinda, entre outras cidades nordestinas.




Na tela "Carro de bois" (imagem abaixo), o meio de transporte de tração animal recebe um tratamento ingênuo e rústico e, ao fundo, vemos aves como luzes brancas refletidas pelo inclemente sol sertanejo.




Rosangela também registra em seus trabalhos o folclore nordestino como, por exemplo, na tela "Boi-Bumbá". Segundo a Wikipédia, esse festejo tem sua tradição ligada às raízes africanas, indígenas e europeias, e está atrelado às comemorações juninas. No centro da tela, a igreja indica a integração entre as tradições populares e a crença religiosa.


"Boi Bumbá"

Biografia da artista


Rosangela nos conta que adora pintar e faz com prazer. Sobre seu início na arte naif, ela declara: "Comecei a pintar aos 25 anos por incentivo do meu esposo Manasses Borges que é filho de J. Borges (José Francisco Borges) renomado xilogravurista e cordelista pernambucano". 


Iniciou pintando brincadeiras de crianças e outras temas populares. A artista nos revelou que começou a pintar devido uma depressão muito grande: "A pintura, para mim, foi uma terapia e a melhor forma que achei pra sair disso. Foi, então, que coloquei alguns trabalhos em exposição no Centro de Artesanato em Bezerros (PE).


"Ciranda", 2010

Como para todo mal, sempre existe um bem compensatório, Rosangela cumpriu sua travessia interior e já alcançou sucesso logo 'de cara': "Através desta exposição, recebi encomendas de vários lugares. Daí por diante, não parei mais, fui convidada para ilustrar quatro desenhos de livros didáticos pelas EDITORA FTD e EDITORA DIMENSÂO.

"Feira nordestina", 2011

Rosangela Borges já pintou para pra colecionadores do exterior, tem trabalhos catalogados no Museu de Diadema (São Paulo) e também no Museu da Bahia. Seus trabalhos são divulgados por diversas galerias do Brasil e exterior.



"Lampião e Maria Bonita"




Texto e postagem: Álvaro Nassaralla
alvaronassaralla@gmail.com


Conheça mais de 130 artistas naïf contemporâneos 
clicando no botão abaixo: