segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Zé Andrade


[José Andrade Santos]
22 de janeiro de 1952
Ubaíra - BA


O trabalho de Zé Andrade procede uma releitura dos ceramistas (em barro) clássicos do nordeste como, por exemplo, o Mestre Noza.


Suas escultura têm em média 12 cm e são caricaturas de figuras públicas de destaque. O próprio autor declara: "são caricaturas em três dimensões".


Andrade acrescentou a cultura popular uma dose de sofisticação, se especializando em registrar as personalidades nacionais e internacionais, principalmente as relacionadas à cultura como poetas, escritores, músicos, artistas plásticas, entre outros. Mas também reproduz ícones da ciência, política e história.





"Augusto dos Anjos"
Exposição "Na palma da minha mão"
CCBB - Centro Cultural Banco do Brasil - RJ
De 12 /out a 16/dez/12



Nascido na Bahia, seu ateliê está localizado no bairro carioca de Santa Teresa. Veio para o Rio com 20 anos e atua há mais de quarenta anos como escultor.

Alguns destaques de seu trabalho são o poeta Paribano Augusto dos Anjos, segurando o seu livro "Eu", clássico da literaturqa moderna, e o romancista Lima Barreto, que contrariou todos os cânones da época criando uma literatura que é ainda será atual por muitas décadas.






"Lima Barreto"
Exposição "Na palma da minha mão"
CCBB - Centro Cultural Banco do Brasil - RJ
De 12 /out a 16/dez/12




"Nelson Rodrigues"
Exposição "Na palma da minha mão"
CCBB - Centro Cultural Banco do Brasil - RJ
De 12 /out a 16/dez/12

Com três assistentes, Andrade trabalha incialmente o barro em natura, e depois realiza a queima e a pintura. Veja na foto abaixo um exemplo de forma de molde do ceramista.

 
Exposição "Na palma da minha mão"
CCBB - Centro Cultural Banco do Brasil - RJ
De 12 /out a 16/dez/12


Seu trabalho já recebeu a exótica descrição como título de reportagem: Os gnomos moderno de Zé de Andrade.

Por Álvaro Nassaralla
 

___________________________________________


Humanidades
Por Zé Andrade


"Quando criança eu tinha medos. A noite chegava, o sono não vinha, o escuro me amedrontava. Para espantar o pavor, uma tia me apresentou Monteiro Lobato. Seus heróis me fizeram companhia. Foi fácil seguir o fio da meada e atravessar a longa jornada noite adentro.

Minhas mãos surpreendiam, criavam coisas que não havia aprendido, mas que sabia fazer. Elas, as minhas mãos, me contavam histórias...





"Cartola"
O barro é parte das mitologias. Na gênese cristã, judaica, grega e de outros povos, elas também estão presente.

Humanidade vem de húmus, terra fértil, boa para o plantio.

Prometeu, herói mitológico que nos fez do barro, vendo as criaturas indolentes, sem vida, sem alma, resolveu desafiar os deuses e roubar um bem precioso: o fogo, privilégio exclusivo deles. Por essa ousadia foi punido.

As figuras aqui retratadas são o próprio fogo, transformador por tudo que criaram. Elas representam faróis ou velas acesas na escuridão".

Zé Andrade
Outono de 2009

Fonte:
http://www.zeandrade.com/html/portal_sandre1.html#textoze

EXPOSIÇÕES do artista até 1994

Veja a Biografia

Veja o Site do Zé de Andrade.

Veja também Matéria na Revista Galileu.
Por Cláudio Fragata Lopes