quinta-feira, 11 de abril de 2013

Isabela Couto Machado


[Isabela Couto Machado]
Itabira (MG), 1976
Vive em Betim (MG)


Isabela Couto Machado nasceu em Itabira, mesma cidade do poeta Carlos Drummond de Andrade. Ao contrário do que diz o poeta sobre a ligação de sua personalidade pedregosa e cética à geografia da região, a pintora naïf transborda fé, fundindo religiosidade e lirismo de uma forma que nos faz sentir e entender que tudo está unido.




"Nascimento" (Birth)
2 metros x 75 cm
Acrílico sobre tela


Na tela 'Nascimento' (imagem acima) podemos conferir como a noite púrpura da vinda do Messias Jesus é uma das expressões máximas do amor que existe na humanidade.

E podemos ver a candura também na tela intitulada "Do Carmo", onde encontramos a Nossa Senhora do Carmo sentada em uma poltrona com o menino Jesus no colo (imagem abaixo).

 

"Do Carmo"
Acrílica sobre tela


Compreendendo que categorizações podem ser restritivas, mas por outro lado que também podem facilitar o posicionamento de um artista junto ao público, classificamos o trabalho de Isabela como Pop Naïf, um dos ramos que mais se desenvolvem no segmento naif. 


O começo

O caminho de Isabela para a arte foi diverso. Para não escapar a regra da arte naïf, a pintora descobriu que poderia pintar tardiamente, em 2004. Mesmo depois ingressar no serviço público (2006), continuou a pintar.

Nesse primeiro período, fez duas exposições: uma no Betim Shopping e outra na Casa de Cultura Josephina Bento, ambas em Betim (MG). Segundo ela, "(...) Além dessa exposições houve duas publicações (estas sim mais importantes). Uma na revista Arte em Tela e outro no livro Art Gallery, Ano IV".




"Patri et filii"
70 x 40 cm

Mesmo depois ingressar no serviço público (2006), sempre houve questionamentos de quando voltaria a pintar, até que em 2012 resolveu definitivamente regressar à atividade artística.

Agora, em outubro de 2013 vai dar um grande salto em sua carreira: Isabela vai expor no Museu do Louvre em Paris, França.




"Chico"
Gravura digital


Antes de tudo começar: suas influências

Certamente, a arte é uma representação das crenças do artista e, muitas vezes, essas crenças estão relacionadas a experiências não só da infância mas que vão acontecendo durante a vida.

Isto posto, pode-se dizer que Isabela teve uma forte experiência vivencial. No ano de 2001, ela se mudou para uma comunidade cristã católica em Arcoverde, sertão de Pernambuco. A artista descreve a comunidade como "um lugar onde jovens do Brasil inteiro e até do mundo resolviam por experimentar viver uma vida despojada na convivência com o povo local".



"Perpétuo"
Gravura digital


O plano inicial de ficar um ano no local foi estendido para quatro anos até 2004. Começou a pintar embebida pela inspiração da vivência espiritual que teve no sertão.

A recorrência de temas sacros cristão-católicos em sua pintura pode ser considerada a grande tônica de sua arte sem prejuízo para a liberdade criativa. Na recente gravura digital, "Eu sou Deus e Feliciano não me representa", ela mostra que está ligada ao mundo e ao ativismo para causas relevantes. Isabela diz que a gravura: 
"funciona como um ato político e de humor meu".




Entre suas principais influências encontra-se a Arte Bizantina, eminentemente religiosa e pode-se observar na pintura da artista a releitura de mosaicos e afrescos através da tinta.



"Santa Ceia"
Acrílica sobre tela

 
Segundo a Wikipedia, na Arte Bizantina "(...) as pessoas são representadas de frente e verticalizadas para criar certa espiritualidade; a perspectiva e o volume são ignorados e o dourado é utilizado em abundância, pela sua associação a um dos maiores bens materiais: ouro".




"Sementes"
Acrílica sobre tela
170×80 cm



"Bom Pastor"
Acrílica sobre tela
135×70 cm


As imagens alongadas, as referências a mosaicos e os temas religiosos na pintura, além de um paleta de cores tendencialmente voltada às variações de dourado estão presentes em outra de suas influências: o artista plástico Claudio Pastro


"Sagrada Família"
Acrílica sobre tela
135×70 cm

O toque ingênuo de suas influências - para não fugir da caracterização naif - fica por conta de outro mineiro, o artista Hélio Faria.


"Hosana!"
Acrílica sobre tela



Cântico dos Cânticos
Gravura digital


 
Exposições/ Publicações


2005 – Exposição no Shopping Betim/ Minas Gerais.

2005 – Exposição na Casa de Cultura Josephina Bento, Betim/ Minas Gerais.

2007 – Participação no anuário, Gallery Art Brazil, Vol 1.

2007 a 2012 – Cessa a produção artística. Nenhuma obra inédita nesse período. Contudo em 2009 aconteceu um convite para participação na Revista Galeria em Tela, Ano 10, Nº 98, Ed. On Line

2012 (Setembro) – Retomada das atividades artísticas.

2013 (Abril) –
Galeria Café com Arte à partir de 15 de abril.

2013 (Outubro) –
Carrousel du Louvre, Paris. França.  




"Sacre Couer" (Díptico)
Acrílica sobre tela
50x50 cm

Fonte:  www.laartb.com (Site da artista)

Texto: Álvaro Nassaralla
alvaronassaralla@gmail.com




Conheça mais de 130 Artistas Naifs Contemporâneos que já registramos no botão abaixo: