quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Francisco de Almeida

[Francisco de Assis Rodrigues de Almeida]
Crateús - Ceará, 1962
Foto: MAUC
Xilogravador


A xilogravura “Os quatro elementos”, com quase 20 metros de comprimento e 1,50 m de altura, é a maior xilogravura do Brasil, alguns chegam a dizer do mundo. 

Tivemos o prazer de admirá-la em 2012, na exposição "Meu Padinho Padre Cícero - Em cada casa um oratório, em cada quintal uma oficina", no no Pavilhão de São Cristóvão - RJ.


"Os quatro elementos"
20 metros x 1,50 m
Xilogravura

Abaixo, seguem imagens de alguns trechos da obra (Fotos: Álvaro Nassaralla - Obs: As fotos podem ser reproduzidas na web contando que mencionem o autor e o endereço do blog).

"Os quatro elementos"
Detalhe do canto com os dados da obra


Detalhe referente a imagem acima desta
(Palavras escritas em meio às imagens)












A delicadeza e a força somadas como uma bela flor de mandacaru estão contidas nessa obra de interminável poesia. Confesso que fiquei estupefato com os tamanhos físico e lírico da obra, embora ela estivesse exposta em um balcão com cobertura de vidro apontado para o teto! Não havia espaço em paredes para expor a peça inteira.

O site da FUNARTE descreve a obra de Almeida com grande propriedade e exatidão:

"Suas gravuras, espécie de cartas enigmáticas sobre o medo e o conhecimento arquetípico, desafiam regras e normas gráficas, e têm sempre grandes formatos". 

“Os quatro elementos” funciona realmente como uma carta impregnada de mistério, desvelando de forma enigmática os elementos sincréticos da religiosidade brasileira, da fauna e flora do sertão, inclusive incluindo seres mitológicos universais. 

Anjos e santos católicos, uma sereia Iemanjá, um ser arquetípico representando o elemento 'terra', um cupido, pombas, velas, cardume de peixes, mandacarus, flores da caatinga: tudo está no grande formato dessa xilogravura.

Fonte: FUNARTE

O processo de produção dos grandes formatos está descrito  pelo site da FUNARTE:  

Impressas aos “pedaços”, as xilogravuras guardam o sabor da surpresa também para o artista que, só tem uma visão do conjunto, quando, uma vez o trabalho concluído, o rolo de vinte metros do papel impresso é desenrolado com a ajuda de um dispositivo de catracas de bicicleta e a gravura é, enfim, estendida num espaço generoso que lhe permita, inclusive, uma apresentação panorâmica.

Esta peça também esteve exposta na VII Bienal do Mercosul, realizada em 2009, em Porto Alegre - RS.

Francisco experimenta novas e sensíveis linguagens na xilogravura, novas técnicas e ferramentas de trabalho. 

Tudo começou quando criança observava seu pai trabalhar como ourives e fotógrafo da cidade e sua mãe modista e bordadeira. A seguir, transferiu-se para Fortaleza com a família aos 15 anos e estudou xilogravura com Sebastião de Paula. 

Fonte: palacetedasartes.ba.gov.br

Mais tarde, no anos 1900, passou pelas oficinas do Mauc (Museu de Arte da Universidade federal do Ceará), onde fez vários cursos de pintura, e em seus pouco mais de 17 anos de carreira atingiu um estágio de maestria. 

Descrevemos, também, o trecho em que Pedro Eymar Barbosa Costa, Diretor do MAUC, descreve as fases por que Francisco de Almeida passou:

"Nos primeiros tempos, sua meta era a pintura e orientava-se numa procura temática de figuras humanas e paisagens que se esvaía na instabilidade das mesclas do óleo, na ânsia errante das pinceladas sobrepostas ao desenho cujo poder figurativo apenas anunciava a intenção focal dos futuros temas. 

Em seguida, já no Mauc, uma fase intermediária de estudos: desenhos a carvão, retratos a pastel seco e a pastel óleo. Finalmente, a gravura pôs ordem na casa. Francisco de Almeida descobre sua natureza de gravador que começa pelo prazer do entalhe, pela obstinada e intimista luta contra a resistência das fibras, pela inesgotável energia e disposição do impressor. 

Desenho e pintura foram então submetidos à hierarquia da produção da gravura. O desenho anunciando o rastro das goivas e a escala incomum de suas pranchas. A entintagem das matrizes tornou-se pintura, provindo daí as matrizes objetos, as matrizes pintadas. O trato com essas matrizes; seus infinitos efeitos de gravação, entintagem e impressão; sua permanente reutilização e arranjos vão fazer de Francisco de Almeida um pesquisador-artesão, um gravador por excelência.

Estabilizando-se na gravura, dominando o espaço e o tempo da gravação, Francisco de Almeida atinge uma exaltação de psiquismo de tal ordem que faz jorrar um redemoinho de imagens poéticas, soprado pela movimentação inquiridora de sua alma em torno do imaginário denso de suas vivências".

O artista tem seus trabalho em coleções no Brasil e no exterior e diversas premiações. 

Texto: Álvaro Nassaralla 


Fontes: 




Exposições e premiações (Fonte MAUC)

  • 1993 - 44° Salão de Abril (Xilogravura) Menção Honrosa - Espaço Cultural do Palácio de Cultura - Fortaleza - Ce. 
  • 1994 - Prêmio Talento 94 (Xilogravura) 2° lugar - Espaço Cultural da Teleceará - Fortaleza - Ceará. 
  • 1994 - 45° Salão de Abril ( Xilogravura) - Medalha de Honra ao Mérito - Museu de Arte da Universidade Federal do Ceará - MAUC. 
  • 1994 - 1° Muestra Latino Americano de Miniprint (Xilogravura) Universidade Nacional de Rosário - Faculdade de Humanidade y Artes - Rosário - Argentina
  • 1994 - Muestra Latino-americano de Miniprint - (Xilogravura) - Museu de Belas Artes Rosa Galisteo de Rodrigues - Santa Fé - Argentina. 
  • 1995 - 1° Salão Norman Rokwill do Desenho e da Gravura (Xilogravura) - IBEU - Instituto Brasil Estados Unidos - Fortaleza - CE. 
  • 1995 - 46° Salão de Abril (Xilogravura) 1° Lugar Júri Popular - Praia de Iracema - Fortaleza - CE.
  • 1996 - 47° Salão de Abril (Xilogravura) Praia de Iracema - CE.
  • 1997 - 48° Salão de Abril (Xilogravura) 1° Lugar Prêmio Gilberto Cardoso - MAUC - Museu de Arte da UFC - Fortaleza - CE.
  • 1997 - Prêmio Talento 97 (Xilogravura) 1° Lugar - Espaço Cultural da Teleceará - Fortaleza - CE.
  • 1998 - Reinauguração do Museu do Ceará - Fortaleza - CE.
  • 1998 - Prêmio CDL de Artes Plásticas - 1o Lugar Júri Oficial - Fortaleza - CE.
  • 1998 - 1° Salão de Sobral (Xilogravura) Menção Honrosa - Sobral - CE. 
  • 1999 - 50o Salão de Abril (Xilogravura) Palácio da Abolição - Fortaleza - CE. 
  • 1999 - 2° Salão de Sobral (Xilogravura) Sobral - CE.
  • 1999 - 3 Gravadores - Centro Cultural Dragão do Mar de Arte e Cultura - Praia de Iracema - Fortaleza - CE. 
  • 1999 - Grabado Cearense em Madri. 
  • 2000 - 51° Salão de Abril (Xilogravura) 1° lugar - Mercado das Artes - Fortaleza - CE.
  • 2000 - IX Salão Paulista de Arte Contemporânea (Xilogravura) - Praça Júlio Prestes - Estação da Luz - SP. 
  • 2001 - 52o Salão de Abril (Xilogravura) - Mercado Central - Fortaleza - CE.
  • 2001 - Aquisições (Xilogravura) - Centro Cultural Dragão do Mar - Fortaleza - CE.
  • 2002 - 53° Salão de Abril (Xilogravura) - 1° Prêmio Júri Popular - Galeria Antônio Bandeira - Fortaleza - CE. 
  • 2002 - SIARA (Xilogravura) - Individual - Galeria Antônio Bandeira - Fortaleza - CE. 
  • 2002 - AINDA GRAVURA (Xilogravura) - Centro Cultural Dragão do Mar - Fortaleza - CE.
  • 2003 - 54° Salão de Abril (Xilogravura) - Galeria Antônio Bandeira - Fortaleza - CE.
  • 2003 - Gravuras - Francisco de Almeida (Xilogravura) - Individual - Centro Cultural Dragão do Mar de Arte e Cultura - Praia de Iracema - Fortaleza - CE.
  • 2004 - 55º Salão de Abril - Fortaleza - CE. 
  • 2004 - Abre Alas 2004 - Galeria A Gentil Carioca - Rio de Janeiro - RJ.
  • 2005 - 56º Salão de Abril - Fortaleza - CE.
  • 2005 - Panorama da Arte Brasileira 2005 - Museu de Arte Moderna de São Paulo. 
  • 2005 - Brasileiro e Brasileiros - Museu Afro Brasil - São Paulo - SP.
  • 2006 - Artista homenageado do 57º Salão de Abril - Museu de Arte da Universidade Federal do Ceará - MAUC. 
  • 2006 - Viva Cultura Viva do Povo Brasileiro - Museu Afro Brasil - São Paulo.
  • 2007 - Bienal de Valencia - Espanha.
  • 2007 - Menção Honrosa na XIV UNIFOR PLÁSTICA - Fortaleza - CE
  • 2011 - 1º Prêmio na XVI UNIFOR PLÁSTICA - Fortaleza - CE