quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Arte naïf + Folclore = Uma só coisa!

 
Virinho (Severino Silva de Souza)
"São Jorge"
Foto: Álvaro Nassaralla
 
A relação da arte naif com o folclore são praticamente indissociáveis, uma vez que o artista retrata sob o seu olhar 'ingênuo', passagens sociais do dia-a-dia e das festividades regionais que vive.

Quanto mais se pesquisa o naif, mais nos deparamos com o conhecimento acerca de festas folclóricas e, ainda, acentua-se nossa certeza da riqueza popular cultural do Brasil.

O brasileiro, talvez por estar imbuído demais em viver - e isso é ótimo, não se dá conta da dimensão de variedade e multiculturalidade do folclore nacional.

Segundo o Wikipedia, folclore é:


(...) a tradição e usos populares, constituído pelos costumes e tradições transmitidos de geração em geração. Todos os povos possuem suas tradições, crenças e superstições, que se transmitem através das tradições, lendas, contos, provérbios, canções, danças, artesanato, jogos,religiosidade, brincadeiras infantis, mitos, idiomas e dialetos característicos, adivinhações, festas e outras atividades culturais que nasceram e se desenvolveram com o povo.


J. Araujo
Fachada antiga do Pavilhão de São Cristóvão
Mapa de São Cristóvão (FAPERJ)

 
J. Araujo, um pintor predominantemente paisagista, retratou a fachada do Pavilhão de São Cristóvão, quando da encomenda da FAPERJ feita ao artista para pintar o mapa e os pontos turísticas do bairro.


A feira de São Cristóvão no Centro de Tradições Nordestinas é um exemplo de um povo que, mesmo a milhares de quilômetros de distância de sua terra natal preserva suas raízes e tradições culturais. Na feira, além de restaurantes e shows de músicas típicas, existem diversas lojas de proudtos artesanais que vão desde cerâmicas de arte e utilitárias para o lar, a até queijo coalho, cachaça, chapeús de couro.



André Cunha
"Maurício de Nassau e a Lenda do Boi Voador"

O pintor pernambucano André Cunha é um dos artistas naifs que mais trabalha temas folclóricos regionais.  Podemos ver na imagem abaixo, ele pinta a Lenda do Boi Voador e o personagem fantasiado de Maurício de Nassau. O episódio aconteceu de fato em Recife à época das invasões holandesas no nordeste brasileiro e foi inserido no imáginario popular. Vale a pena conhecer do que se trata O Boi Voador.
 


André Cunha
A La ursa quer Dinheiro no carnaval do Nordeste


Outra tradição nordestina, essa do carnaval, são os Ursos. O jornal O Nordeste descreve do que se trata:


Na sua forma mais simples é um conjunto de dois homens: um, o "urso mesmo", isto é, um homem vestido de urso; e o outro, o "domador", também chamado "O Italiano", e "O Comandante". Freqüentemente, aparece uma terceira figura, "O Caçador", um tipo de folião ou palhaço, que conduz uma velha espingarda e dá tiros cada vez que parece que o urso vai escapar.


Veja a explicação completa dessa tradição folclórica carnavalesca no 'O Nordeste'.