sábado, 2 de junho de 2012

Tercília dos Santos


Nasceu em 1953
Distrito de Uruguai – Piratuba (SC)

Tercília dos Santos é apontada pela crítica como grande revelação da pintura naïf de Santa Catarina. Seus quadros, através de figuras totalmente coloridas, em acrílico sobre tela, registram o colorido rural do Estado de Santa Catarina. Nascida em 1953, na cidade de Piratuba, extremo Oeste de Santa Catarina, realizou sua primeira exposição individual em 1990, e no ano de 1992 participou da Mostra Internacional de Arte Ingênua do SESC de Piracicaba (SP).


Em 1994, recebeu um Prêmio de Aquisição na Bienal de Arte de Naïf  de Piracicaba e menção honrosa no 1° Salão Santos Dumont de Florianópolis. Em 1998 recebeu o Prêmio divulgação (cartaz) na Bienal Naïfs do Brasil no SESC Piracicaba. Em 2000 foi novamente selecionada na V Bienal Naïfs do Brasil no SESC Piracicaba. Em 2001, participou de uma exposição itinerante no estado de São Paulo. Em 2004 foi mais uma vez selecionada para a VII Bienal de Piracicaba de São Paulo.


Em 2005 passou a fazer parte do Projeto Cultural do SESC com o título “A dama da Pintura Primitiva em Santa Catarina”.  Viajando então por várias cidades, proferindo palestras sobre sua vida, sua arte e sobre a Arte Naïf para professores e alunos do ensino superior, além de oficinas de Arte Naïf para crianças.


Em 2006, passou novamente pelo crivo dos críticos de arte para participar de uma coletiva internacional no Centro Cultural de Chicago, sendo a única catarinense selecionada para a mostra. Neste mesmo ano ganhou um comentário sobre sua obra do crítico e jornalista Oscar D´ Ambrósio, membro da Associação Internacional de Crítico de Arte (AICA – Seção Brasil).




Em 2007 participou  do 3° Encontro Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional, sendo capa de divulgação, e em 2008 participou de mostra na Suíça, representando Santa Catarina.




Segundo o curador da exposição, Fernando Lindote:
“estas pinturas são feitas, além de tecido e tintas, da alma de Tercília. Por isso, é preciso certa disponibilidade, de um tipo muito especial,  para ver estas imagens. É preciso ver com a alma. Portanto, a pintura de Tercília é feita para pessoas com alma! E só para essas pessoas. Desalmados não podem entender essas pinturas. Para fazer uma pintura como esta, é preciso ter coração de criança. E para entendê-la também. A pintura de Tercília é imagem de partilha, como o pão e a alegria”. No texto de apresentação da exposição, o curador afirma ainda que “esse interior  que vemos através das pinturas de Tercília está situado em um lugar desconhecido no mapa. Onde as linhas e as medições são ineficazes, e onde o tempo corre em outro rio, exatamente lá, vive esse povo desconhecido. Que leis  regem essa natureza, também nos escapa. Mas esse interior existe, e a prova  disso são estas imagens expostas, aqui e agora, no Museu Histórico de Santa Catarina.”


Fonte: http://arteeculturaunivali.wordpress.com - MUSEU HISTÓRICO DE SANTA CATARINA – Palácio Cruz e Souza - Florianópolis - SC


0,21 x 0,21
Fonte: http://www.amariniarte.com.br


Técnica Mista
0,50 x 0,70

Fonte: http://www.amariniarte.com.br